Visit Blog
Explore Tumblr blogs with no restrictions, modern design and the best experience.
Fun Fact
40% of users visit Tumblr between 1 and 30 times a month.
Trending Blogs
#one direction

Espero que goste! :)

Aproximadamente 2300 palavras. 

Não tem hot mas se você quiser eu posso fazer uma segunda parte onde ele leva ela pra jantar, ou que ele passa a tarde inteira mimando ela e depois rola um hot… você que manda… tenho várias ideias ;)

Você vai dormir aqui, comigo.

A casa estava uma completa e absoluta bagunça; brinquedos espalhados por todo chão da sala, potinhos de papinha e algumas frutas cortadas em cubinhos ocupavam toda a mesinha de centro, uma caixinha com alguns remédios e termômetros – digital e de mercúrio – tomava residência ao lado do sofá que já não tinha nenhuma almofada, além da cozinha, que deixava S/N ansiosa apenas em olhar.

A moça já tinha perdido a conta de quantas vezes teve que lutar contra a vontade de ligar para Harry, seu marido, nas últimas 48 horas para pedir socorro. Seu bebê de apenas 11 meses estava resfriado, só queria seu colo e chorava como se não houvesse amanhã. Ela já tinha tentado de tudo para acalmá-lo; pôs o desenho que ele mais gosta na TV, a música que o faz rir no rádio e até baixou alguns jogos em seu iPad para tentar fazê-lo sentir melhor. Só Deus sabe quantas vezes tentou alimenta-lo – ele negava tudo; morangos, uvas, legumes, papinhas, iogurtes, entre milhares de outras opções. – tudo que ele queria era ficar agarradinho com a mãe e, em alguns raros momentos, o leite dela.

S/N só queria tomar um banho quente, comer alguma coisa – qualquer que seja – e voltar para seu bebê. Não via a hora de Harry chegar para enterte-lo por apenas alguns minutos.

Nessas horas era um pesadelo ser casada com o capitão do Departamento de Polícia Metropolitana de Londres. Ela só queria Harry, seu marido, pai de seu bebê ao lado dela naquele momento.

//

Era impressionante como Harry conseguia estar de pé depois de um plantão de quase 60 horas; seus olhos ardiam de tanto sono e ele podia sentir um leve tremor em suas mãos revelando que o nível de cafeína em seu sangue provavelmente estava mais alto do que o considerado saudável.

Ele amava seu trabalho, de todo coração – saber que conseguia fazer de sua cidade um lugar melhor com o seu trabalho e que seu papel era importante para levar segurança para os cidadãos era o que o fazia colocar sua farda com tanto orgulho – mas, em momentos como esse, onde ele só conseguia pensar em chegar a casa, dar um beijinho em seu anjinho, deitar nos braços de sua esposa e se entregar ao sono ele tinha vontade de desistir de tudo.

Por isso, quando abriu a porta da frente de sua casa e foi recebido com os destroços do que parecia ter sido um furacão tudo que ele conseguiu sentir foi irritação. Roupas – provavelmente sujas – de Arthur estavam em uma pilha no sofá, frutas – agora, com certeza estragadas – em uma cumbuquinha na mesinha de centro. Ele sequer conseguia ver a pia da cozinha em baixo de tanta louça suja. Tudo isso enquanto S/N dormia agarrada a Arthur no tapete da sala.

Harry estava tão possesso com a situação em que sua casa se encontrava que não percebeu os vários xaropes e tylenol baby ao lado da esposa, ou até mesmo as olheiras dela – que, sinceramente, pareciam piores que as dele – além de seus cabelos completamente desgrenhados. Ele tinha dormido menos de 8 horas nos últimos 3 dias – e provavelmente por isso – não conseguiu controlar suas ações.

“É sério, S/N?” Ele perguntou indignado sem se preocupar com o tom de sua voz ou com o bebê adormecido. “Eu trabalho por 60 horas seguidas sem comer ou dormir direito pra chegar e encontrar a casa assim?”

“Harry…-” S/N respondeu atordoada pela forma em que foi acordada.

“Não, S/N. Eu não quero ouvir sua desculpa esfarrapada, eu trabalho como um condenado pra dar tudo do melhor pra você e pro Arthur e é isso que eu recebo em troca?” Perguntou apontando com as mãos para todas as direções. “Uma casa completamente suja e desorganizada depois de 60 horas de plantão?” Continua ainda sem conter a voz.

Arthur, que pela primeira vez naquele dia tinha dormido um pouquinho acordou chorando assustado com o tom de voz alto do pai; apesar de ser um bebê muito alegre – quando não está doente – Arthur não suporta quando falam muito alto perto dele, possivelmente porquê seus pais buscam ter o relacionamento mais saudável possível com ele e porquê são raras as vezes em que brigam.

“Qual o seu problema, Harry?” S/N perguntou se levantando do chão com o bebê em seus braços tentando acalma-lo. “Eu sinceramente não sei com quem você acha que ‘tá falando mas com certeza não é com a sua esposa e mãe dos seu filho.” Ela disse tão irritada quanto ele mas em um tão calmo para não alarmar mais ainda o bebê em seus braços. “Arthur está resfriado e não quer sair do meu colo, eu não durmo direito desde que ele acordou ontem pela manhã e sinceramente não lembro qual foi a minha última refeição.” Ela disse enquanto sentia lágrimas cortando suas bochechas, só agora notando o quão esgotada estava. “Já tentei de tudo pra fazê-lo comer e eu simplesmente não dormi essa noite porque fiquei com medo de que ele se engasgasse com a própria secreção.” Continuou olhando para seu bebê que tinha a cabeça deitada em seu ombro e uma de suas mãozinhas em sua bochecha; a irritação de Harry se dissipou instantaneamente com a confissão da esposa e ele soube, naquele momento, que tinha sido um babaca. “Eu sei que você trabalha muito pra prover para nossa família, mas isso não te dá o direito de me tratar desse jeito.” S/N disse e foi em direção as escadas.

“S/N, espera…-”

“Não, Harry. Eu nunca pensei que fosse dizer isso mas eu não quero ouvir a sua voz hoje.”

Harry suspirou se sentando no sofá, tinha vacilado, feio.

//

S/N foi direto para o quarto de Arthur. Sentada na poltrona ao lado do berço o amamentando pela que parecia ser a milésima vez naquele dia a moça pensou em tudo que havia acabado de acontecer. Ela ama Harry, é certo que sempre irá amar mas o jeito que ele a tratou foi desrespeitoso e de certa forma desonesto; S/N sempre foi uma mulher independente e determinada – essas são apenas duas das qualidades que fizeram o capitão se apaixonar perdidamente por ela – e não se arrepende nem um pouco de ter dado uma pausa em sua carreira profissional para ser mãe, sempre foi seu sonho, e essa foi a melhor escolha que já fez em sua vida. Porém além de ser mãe e esposa em tempo integral ela ainda trabalha em alguns projetos – pequenos comparados aos que ela costumava se envolver antes de Arthur nascer e em Home Office, logico – E, sinceramente, conseguiria dar uma boa vida a seu filho independente de Harry mas é inegável que, no momento, é ele quem é responsável financeiramente pela maioria das contas da casa, o que em hipótese alguma o dá o direito de diminui-la daquela forma.

O bebê logo adormeceu e ela foi cuidadosa ao deita-lo no berço. S/N fez alguns ajustes na babá eletrônica antes de pegar o pequeno monitor que estava em cima da cômoda ao lado da janela e caminhar até o quarto que dividia com Harry.

Ele estava sentado na cama quando S/N entrou no quarto; a moça não disse sequer uma palavra, apenas caminhou até o banheiro e fechou a porta atrás de si. Logo Harry conseguiu ouvir o barulho do chuveiro sendo ligado, e tudo que ele conseguia pensar era em formas de se desculpar – o sono que antes consumia 80% de seu corpo há algumas horas atrás agora completamente esquecido, ele precisava pedir desculpas, precisava que ela o perdoasse antes de qualquer coisa.

Harry estava tão imerso em seus próprios pensamentos que não ouviu o som do chuveiro sessando e se assustou quando uma S/N apenas de toalha apareceu em sem campo de visão. Seus olhos acompanhando cada um de seus movimentos e admirando todas as suas curvas não afetaram nem um pouco a moça que seguiu até o closet como se ele não existisse.

Em silêncio, S/N se trocou rapidamente – ela vestia shorts de algodão e uma camiseta over-size que costuma usar para malhar quando algum milagre acontece – Harry tentava montar um pedido de desculpas em seu pensamento quando percebeu o monitor da babá eletrônica em uma das mãos da moça e seu travesseiro em outra, ele jura que seu coração deixou de bater por um segundo.

“Pra onde você tá indo?” Perguntou com um pouquinho de desespero em sua voz.

“Quarto de hospedes.” Ela respondeu sem o olhar.

“Não, não vai.” Harry respondeu rápido e S/N arqueou uma das sobrancelhas com a resposta do marido. “Você vai dormir aqui, comigo. Nós estamos juntos há quase 10 anos e nunca dormimos separados estando na mesma casa. Não vai ser hoje que isso vai mudar.” Continuou como se ela tivesse acabado de dar a ideia mais louca que ele já havia ouvido, e para ele, aquela era a ideia mais louca que ele já tinha ouvido.

“Sinceramente Harry, eu não quero olhar pra você agora quem dirá dormir na mesma cama.” S/N conseguia sentir seu rosto esquentar e frustação tomar seu corpo, ela só queria dormir.

“Eu durmo no chão, mas por favor, dorme aqui.” Ele suspirou e olhou para as suas próprias mãos em seu colo, claramente envergonhado. “Eu estou arrependido por tudo que eu disse, lovie.”

“Sem ‘lovie’, Styles. Você disse coisas horríveis pra mim mais cedo.” Disse irritada. “Realmente me magoou.”

“Babe, eu não quis dizer nada daquilo. E você sabe.”

“Não, eu não sei. Eu espero que você não pense desse jeito, porque você conseguiu ser bem convincente-…”

Harry foi rápido em corta-la. “Não, eu não penso daquela forma, lovie. Eu sei o quanto você se sacrifica por essa família, eu não consigo imaginar o quão sobrecarregada você estava nesses últimos dias. Eu fui um completo idiota, amor. Me perdoa.”

S/N se recusou a olha-lo nos olhos, sabia que no momento que encarasse aquelas orbitas verdes se derreteria por inteiro e ela tinha que deixar claro que o que aconteceu não poderia voltar a se repetir, ela nunca se submeteria a um relacionamento onde seu parceiro não a respeite. Nem por ele, nem por ninguém.

“Lovie, diz alguma coisa.” Harry pediu depois de algum tempo em silêncio.

“O que você quer que eu diga, Harry?”

“Que você vai me perdoa, e que vai dormir aqui hoje.”

“Harry, o jeito como você me tratou não foi nem um pouco aceitável. Eu realmente acho melhor eu ir dormir no outro quarto.” S/N sequer deixou que ele tentasse convence-la do contrário, apenas saiu do quarto e foi em direção ao quarto de hospedes.

Os dois tinham tido dias estressantes, estavam privados de sono e, se ela conhece bem o marido, ele iria querer resolver a situação ainda hoje e com certeza isso causaria uma briga completamente desnecessária, ela estava fazendo o que achava melhor para os dois.

//

Eram 5 da manhã quando gemidos doloridos acordaram S/N, seu primeiro instinto foi procurar pela babá eletrônica na mesinha ao lado da cama – eram 1:42 da manhã quando levantou para amamentar Arthur e pelas suas contas ele dormiria pelo menos até às 8 da manhã – foi depois de ver seu bebê dormindo tranquilamente agarrado a seu ursinho favorito que ela percebeu o homem estirado no chão ao lado da cama.

“Harry, o que foi?” Perguntou se sentando, ela acendeu o abâjuor e a expressão dolorida do marido ficou ainda mais clara.

“Minhas costas estão doendo.” Respondeu com uma das mãos nas costas em uma tentativa falha de aliviar a dor.

“O que você ‘tá fazendo no chão?” S/N perguntou o ajudando a levantar e se sentar na cama.

“Eu disse antes, nós nunca dormimos separados estando na mesma casa, lovie. E se depender de mim, nós nunca vamos.”

“Você não tem mais idade pra dormir no chão, Harry.” Ela suspirou. Apesar de tudo, S/N sabia o quanto ele estava cansado e do quanto precisava ter uma boa noite de sono. Odiava saber que ele estava sentindo dor, e não podia deixar de se sentir um pouquinho culpada.

“Se isso não prova o quanto eu te amo, eu sinceramente não sei o que vai.”

“Você não acha melhor esperar eu te desculpar completamente antes de fazer piada?” Ela perguntou enquanto o fazia deitar com a barriga no colchão. S/N se sentou em seu quadril e suas mão foram extremamente precisas na massagem nas costas do rapaz.

Harry gemeu sentindo a dor aliviar, as mãos macias e quentes dela fazendo cada músculo relaxar. “Eu não consegui dormi sabendo que você estava tão perto e não estava do meu lado.”

“Você sabe que se eu ficasse você iria querer conversar e que provavelmente nós iriamos discutir outra vez.”

“Eu sei, mas…” Ele suspirou. “Eu preciso de você. Você e o nosso bebê são as pessoas mais importantes da minha vida, eu nunca deveria ter dito aquelas coisas. Eu preciso que acredite quando eu digo que me arrependi no momento em que eu vi o quão cansada você estava, lovie.” S/N se sentou na cama e logo Harry se sentou também. “Eu te amo.” Ele confessou agarrando as mãos da moça. “Sempre vou te amar, e eu sei que as minhas palavras ontem mostraram o contrário mas eu não consigo descrever o quanto eu te valorizo. Você é meu porto seguro, e quem me fez e faz um homem melhor. Eu prometo nunca mais te desrespeitar daquela forma.” Completou deixando um beijinho em cada um dos dedos dela.

“Eu te amo.” Ela disse antes de beija-lo, só naquele momento perceberam o quanto precisavam daquilo. Estavam há dias sem o carinho um do outro, há dias sem sentir o calor que só quem a gente ama pode proporcionar.

“Agora vamos.” Ele comandou se levantando da cama e a puxando. “Nós vamos dormir, na nossa cama.” Fez questão de enfatizar as últimas palavras antes de continuar. “Até o monstrinho acordar, depois vou leva-lo até a casa da minha mãe e vou passar o resto do dia provando o quanto eu estou arrependido e o quanto eu te amo. Gosta da ideia?” 

“Hum… posso viver com ela.” Ela o provocou antes de beija-lo outra vez.

Quase 10 anos juntos e aquela mulher ainda conseguia fazer borboletas criarem vida em sua barriga.

//

All the love, x.

Favorite se gostar!

Masterlist.

0 notes

I could listen to Harry talk about the differences between touring with 1D and touring solo for 3 days straight and not get bored once so tell me why every single interviewer, in the 10 minutes they have with him, only want to know where he’s putting his dick?

2 notes
Text

image

hi, welcome to my profile :)) my name’s lari and my posts will be focused on 5sos, one direction and yungblud, but the requests are open and u can ask for icons, headers and packs from any artists, u can also message me in case you want something more specific! enjoy :D

image
1 notes
Text
image

Lend me your ears N’ listen to The Album “Rise From It All” on Napster. Here’s the link: https://us.napster.com/artist/real-rise/album/rise-from-it-all. Hello my fellow High Risers! The reason that I’m sending you The New Real Rise Newsletter to inform you what I Real Rise have cooking up just for you. Yes! You read this just right never wrong my fellow High Riser. I will be working on a new song with my homie boy across seas N’ his name is B Diamond. I will get you informed when the new song is cooked N’ done. I will also be premiering a new The Real Rise Show next week Saturday 01/30/2021 at 8 p.m. CST on all social media platforms via email. If you haven’t seen the last The Real Rise Show - A Tribute To Dr. Dre on Facebook. Here’s The Facebook Show link: https://fb.watch/39TQIg3I8Z/. I thank you for reading this Yours Truly Real Rise!

0 notes

What is my existence if not to spew obscure facts, love one direction and carry pens and a notebook around

2 notes

That proud moment when you watch TV and randomly a song of the 1D boys plays in the background. ☺️

2 notes
image

everyone when one direction reuinites

0 notes

🔚Unfuckwitable : Drag your fandom in one sentence

We hate each other more than we love our boys

0 notes
Text

No because they’re literally the same person ??

image
image
6 notes

pov: youre babysitting a little kid

image
image
image
image
image
2 notes
Text

does anybody have nice vintage black and white wallpapers of louis ???? thank uuuuu

1 notes