Tumgir
#vida adulta
tu-autoestima · a day ago
Text
Tumblr media
83 notes · View notes
fotitospacurartudepresion · a month ago
Text
Tumblr media
137 notes · View notes
limoncitoagridulce · 22 days ago
Text
Tumblr media
79 notes · View notes
sunmigem · 4 months ago
Text
Una carta a mi misma
Quiero abrazar a mi yo pequeña cuando se sentía extrañada,perdida y desolada en pensamientos dañinos, donde creía que al no cumpllir las expectativas de los demás ,era una FRACASADA.
Quiero caminar y platicar con mi yo pequeña de cuan las cosas pueden complicarse y que no debe temer a fallar pues con ello aprendera a ser más amable, empatica,ser tímida no tiene nada malo, tener pocos amigos es normal, una familia no siempre te cuida o te protege y que yo misma debo hacerlo,ir a terapia es necesario,llorar no es ser débil ,no hay edad determinada para seguir estudiando en lo que más te apasiona... Me arrepiento de las veces que me odie por no demostrar mi verdadera personalidad,quedarme callada y no defenderme, en ocasiones caí muy bajo con mi autoestima como : buscar amor en otras partes cuando debí ser yo en primer lugar quien se amara de verdad. Me digo y me repetire a mi misma que lo siento por tantas cosas horribles que me he dicho y hecho-. Quiero prometer amarme en todo momento,suena cursi pero en cada persona es necesario... -un amor ilimitado en nosotros ,fortalece la mente y el alma- ATTE : Mi yo de adulta para mi niña solitaria
138 notes · View notes
xiao-kiwiii · 2 months ago
Text
....
Tumblr media
32 notes · View notes
aceito-ask · 9 months ago
Text
eu ainda não entendi o que é pra fazer nessa fase da vida adulta
Tumblr media Tumblr media
58 notes · View notes
o-ctober21st · 6 months ago
Quote
Não há criança que queira ser criança. A criança feliz em ser criança, sabe o que a espera na vida adulta, é "pra frente" e, talvez, nem tão feliz assim. O adulto que mantém viva sua criança interior é o adulto que consegue ser feliz. Mas ele só é feliz porque ainda é criança.
Luiza Meneguini @luizambss
31 notes · View notes
pedacinhosdavida · 26 days ago
Text
Tumblr media
8 notes · View notes
tooinsanegirl · 6 months ago
Text
Estamos grandes para andar fingiendo que no nos importamos...
A.
22 notes · View notes
perdona-por-enamorarme · a year ago
Text
OK, pero si ubican la horrible sensación de despertar un día con el corazón roto y aún así tener que levantarse a seguir porque la vida adulta es así.
157 notes · View notes
boulnosoul · 6 months ago
Text
Caminhos
Não sei se são as vozes em minha cabeça que querem gritar mais alto, ou simplesmente mero fato. Talvez apenas os químicos da minha mente desajustados. Depressão? Mas, não posso evitar em pensar, como não quero nada da vida. 
Isso é algo que não pode se expressar em voz alta. Crime! Na sociedade do sucesso, ou coaching, dizer - da vida eu não quero nada. Não desejo nada.  
Sim, talvez seja minha depressão. Como nunca vivi nada diferente disso, não vou poder te dizer, algo a priori. Algo como “eu tinha desejo, mas perdi” Depressão não me roubou o desejo pela vida. Eu só nunca tive. Eu nunca tive desejo. Nunca sonhei longe. E eu ainda não aprendi a sonhar. 
Ou que... nem sonhar eu quero?
Muitos dias da minha vida, eu trilho caminhos falsos. Fingindo saber para onde vou. E eu sei que muitos sabe-tudo fazem isso. Porém é diferente. Caminho como se tivesse encontrando caminho da minha recuperação em minha saúde mental, futuro de sucesso! O lindo amadurecimento da juventude para adulto. Não encontrei nada disso, muito menos caminho a favor de algo com certeza do caminho. Sinceramente? Nunca fui criança, se quer fui adolescente, nem jovem. Como vou ser adulto? O que é ser tudo isso? Não me aguento, encho nos dois de perguntas. 
Sempre caminhei a favor de coisas que achava que era a opção menos pior, ou a mais confortável. Nunca fui além disso. Tenho medo de dizer que talvez seja preguiça. Quem sabe, desanimo. Preguiça, quem sabe...? Não tenho caminho. Perdão minha ignorância em dizer mas, não sei se quero ter. 
Tudo parece tão difícil em crescer. Em despertar e fazer escolhas que não quero. Ah, sei o que quero! Quero ser samambaia, que só move porque vento sopra. Apático. Por quê? Assim não sofro. 
Ah! Tem muita coisa errada nisso, eu sei. Poxa, pelo menos uma vez deixa eu dizer o que perturba em minha garganta, em algumas dúzias de caracteres.
E eu sei. Novamente não escolho, recuo e recuso, porque tenho medo de sofrer. Não posso parar no mundo e ser samambaia. Nem provas tenho que ser samambaia não traga dor. Só sei que estou cansado de andar andar andar andar andar. Fazer escolhas enquanto na verdade, nem sei pra onde vou.
Ser nada. Apenas nada. Sou nada, com nada, para nada, com ninguém, e para ninguém, fazendo nada. Absolutamente nada. 
14 notes · View notes
tu-autoestima · 12 hours ago
Text
Tumblr media
51 notes · View notes
fotitospacurartudepresion · a month ago
Text
Tumblr media
62 notes · View notes
limoncitoagridulce · 24 days ago
Text
Tumblr media
30 notes · View notes
trogo-auto-egocratico · 6 months ago
Text
Fui a los bosques porque quería vivir deliberadamente; enfrentar solo los hechos de la vida y ver si podía aprender lo que ella tenía que enseñar. Quise vivir profundamente y desechar todo aquello que no fuera vida... Para no darme cuenta, en el momento de morir, que no había vivido.
Henry David Thoreau.
14 notes · View notes
sex-with-luv · 7 months ago
Text
Às vezes é triste, sabe?
A vida adulta parece que te suga para um buraco de areia movediça, e quanto mais você se mexe mais difícil de sair fica.
Você sempre se sente preso as correntes do capitalismo, trabalhar por dinheiro, viver por dinheiro, ser alguém por dinheiro..... Até quando o dinheiro irá nos mover assim? Irá me mover assim.....
É triste me comparar com alguns anos atrás, eu sinceramente duvido que quem me conhecia antes poderia me reconhecer agora.
Sinceramente, às vezes é triste, sabe?
Ter uma adolescência cheia de sonhos, e cair de paraquedas na vida adulta e ter os seus sonhos dilacerados aos 23.
Ando cansada de ouvir sobre dinheiro, trabalhar por dinheiro, e estudar para ter dinheiro. Era bem mais fácil quando eu só sonhava.
Esse é só mais um desabafo monótono do dia a dia de uma jovem adulta, que não tem mais tempo de escrever, mas ainda se sente viva quando faz isso.
Porquê, você sabe, às vezes é triste não se encontrar mais.
- Mello.
12 notes · View notes
aneumann · 11 months ago
Text
Recuperação
  Noto estar voltando para perto do poço das lamentações, embora não queira mais voltar para lá, esta reincidência depressiva me faz querer pular à esta água gélida e escura.
 Já fazem meses que posso respirar o ar puro e visualizar o vasto céu azul, às vezes sinto frio por conta da tristeza que vem sem avisar ou então me perco em meio ao labirinto das lembranças. Uma vida normal ,eu diria, mas em tão poucos dias sinto a impotência em relação às minhas metas e futuro individual.
 Talvez o vício pela melancolia durante anos tenha sido o ponto principal das minhas reincidência atuais. O mais interessante disso não é mais o desejo assíduo pelo fim, embora meu humor e ações no dia-a-dia possam mostrar o contrário, noto voltar aquele estado inicial da grande tristeza, ao qual não desejo partir, apenas desaparecer da realidade, seja por minutos ou horas, ser esquecida até voltar mais calma e viva para querer existir mais um dia
  Hoje, a principal causa das minhas melancolias possa ser esse peso e pressão posta a mim -e a ambos- nessa fase da vida, onde esperam que seja forte e responsável suficiente por suas emoções. Mas não é fácil, não é simples a todo e qualquer gatilho que me faça recordar algo ser puxada por uma corda invisível para perto deste poço, ao qual chama meu nome e aos poucos me convence que ali é o único lugar a se estar.
  Apesar do que me ocorre tento não cair novamente em meio à escuridão, com forças inimagináveis e às vezes tendo a ajuda de alguém me ponho a estar afastada do que me faz mal; mesmo que sinta o cansaço ou exaustão por essa luta, acredito que terá seu fim, sem ferir meu coração e nem mesmo meu fim e com meu esforço irei continuar estando aqui, podendo admirar a estrada da vida com momentos únicamente individuais e ultrapassam cada novo obstáculo.
-Agatha Neumann 
27 notes · View notes